sexta-feira, janeiro 27, 2006

(Crítica) Pride and Prejudice

Pride and Prejudice
de Joe Wright
Site Oficial

Baseado no livro de Jane Austen, Pride and Prejudice conta a história de Elizabeth, uma das cinco filhas da família Bennet. Elizabeth é a segunda filha mais velha e ao contrário das suas irmãs, não mostra interesse em arranjar um marido. Contudo, a sua vida muda com a vinda de Mr. Bingley e sua irmã para a sua vila. Com eles, vem Mr. Darcy, um senhor de boas famílas que mostra desdém e desinteresse por tudo e todos que são abaixo da sua condição social. Entre o orgulho de uns e o preconceito de outros, nasce a inevitável (e vamos ser sinceros, mais que óbvia) história de amor impossível.

Este filme, sofre à partida de um dos males do cinema. São raros os filmes adaptados de obras literárias que conseguem fazer justiça ao original e desta forma, existe uma certa desconfiança à partida. Como não li o livro estava um pouco livre deste juizo inicial. E avaliando o filme somente pelo que ele é, não se pode fazer grande elogio.
Como filme de época está bem produzido, as interpretações são convincentes e leva-nos a crer que estamos mesmo noutro tempo, onde as ideias e os costumes são diferentes. Desse ponto de vista temos um filme bem conseguido. A meu ver, o problema reside na história e na narrativa. Não sendo uma história fraca, a sua adaptação ao cinema é chata e sem grande mérito. É óbvia, desinteressante e redundante. Já vimos aquela história milhares de vezes mudando só os nomes das personagens. Para além disso, temos um ritmo de narrativa extremamente literal (não confundir com literário), onde a exposição de factos, de personagens ou de situações é feita de forma quase científica e exacta. Resumindo, torna-se um filme absolutamente corriqueiro.
Temos uma realização competentezinha, sem merecer grande destaque, uma banda sonora bem aplicada e interpretações decentes. Keira Knightley tem uma boa personagem, que não desilude.
Estas histórias de "amor que superam todas as barreiras sociais" já foram feitas demasiadas vezes para se conseguir levar a sério o género.

Não temos uma adaptação incompetente de Pride and Prejudice. Temos uma adaptação desnecessária.

5/10

9 Comments:

Anonymous Sofia said...

Eu gostei!

10:19 da tarde  
Anonymous Paulo Mota said...

"Temos uma realização competentezinha, sem merecer grande destaque, uma banda sonora bem aplicada e interpretações decentes. Keira Knightley tem uma boa personagem, que não desilude."

Numa frase passas por Eng. de som, Realizador e ainda tallent-catcher.

Vou dar a minha humilde opinião...o filme não me diz nada. Mas só critico assim quando eu sei fazer melhor...pq afinal de contas falar é mto fácil.

Deves pensar que ser critico de cinema é como ser porteiro, não é preciso um ensino "superior".

Concordo com a ultima frase. Adaptação desnecessária...

1:25 da manhã  
Blogger luis said...

:) A crítica não implica conhecimentos técnicos. Dessa forma, tu também não me poderias críticar não é?

12:14 da tarde  
Anonymous Paulo Mota said...

Exactamente! Não podes dizer que uma realização é competente! Podes dizer que te agradou ou que achaste interessante como sobresai e blablablablabla.

Sabes bem que o que eu queria dizer é que te sentas no topo do mundo e achas-te o dono de toda a verdade!(Sensação que transmites quando escreves)

2:27 da tarde  
Blogger luis said...

Palavras curiosas. Alguém que não quis assinar comentários neste blog já disse o mesmo. Sim sento-me no topo do meu mundo, e acho em dono da minha verdade. Não tens que concordar com ela. Não tens sequer que a ler. Se o escolheres fazer vais ter que compreender que não vou evitar de escrever o que penso. Para além dessa teoria de ter que saber fazer para críticar ser limitativa e consequentemente atribuir a posse da razão apenas aos que são qualificados por um instituto ou escola, acho que quando se faz uma obra de caracter criativo, é impossivel não a deixar em aberto a diferentes observações. Desta forma, apenas mostro a minha sem pensar que é certa ou errada. Apenas minha. E é de alguma prepotencia, dizeres o que posso ou não posso escrever no meu blog. Se não concordas comigo, acho que estás no teu pleno direito, e mais, gostaria imenso que me mostrasses onde errei na tua opinião. Mas não vamos falar do estilo. Vamos falar do conteudo. Acho que o blog, ganhava mais se comentasses a obra do que o autor da crítica (sendo eu, o Oliveira, o Ricardo ou o Nuno). Dás-me uma importância que eu não tenho quer o filme em questão seja bom ou não (e este está claramente para mim, algures entre o bom e o mau).

Abraço, e gostava que participasses mais na onda de falar de cinema (no teu registo, que é claramente diferente do meu), do que fizesses análises de estilo ou comentários como fizeste na notícia do Basic Instinct 2. Ajuda-me a melhor ;)
cqajgnjs

6:01 da tarde  
Anonymous paulo mota said...

Sim vi isso mais evidente dps da zaragata que ouve ai. Tenho que admitir que apesar de não concordar contudo....(visto conhecer pessoalmente a pessoa em questão) acho que ele tem muita razão digo-te já! E curiosamente até mostrei isso a uns amigos meus e eles concordaram.
Epa n quero reanimar aquela parvoice(foi por onde aquilo foi dar....e me deu umas valentes gargalhadas...com os posts anon dos outros cromos). Só acho que devias realmente ser mais humilde...(sem ofensa) fazes-me lembrar aqueles jornalistas que estão a entrevistar um clube de futebol que não gostam... Lembra-te critica implica imparcialidade.

Agora tb tou para aqui a pensar pq me incomodei assim tanto mas epa....simplesmente apercebi-me como isso era verdade. Lembraste-me quando falamos sobre o "Land of the Dead" disseste uma piadola qualquer que na altura n liguei...mas se fosse alguem que eu n conhecesse iria ser mais um aderente das placas de porcelana nos maxilares inferiores e superiores.

Não digo que ate não possas ter razão. Como te disse o filme não me diz nada (como qualquer filme que tenha visto nos ultimos anos...em geral) Epa mas sê mais subtil e imparcial ou mostra uma parcialidade mais facil de se viver com. Se é que isso quer dizer alguma coisa lol...Podes escrever o que quiserse no teu blog...foi só uma chamada de atenção. Quando publicamos algo para uma vasta maioria ver...é pq queremos que as pessoas comentem e vejam o nosso trabalho....desta maneira "distrais" o leitor....apenas isso. Que tu até tens integridade quando discutes estes assuntos......digo eu

PS: Ta um gajo aqui de férias e obrigam-me a escrever bah

9:24 da tarde  
Anonymous paulo mota said...

PS-1: epa se alguma coisa tiver mal escrita perdoem-me...mas o JB 7 anos e agua ardente ainda estao apoderados do meu corpo hahahahah

Die with a beer in your hand - Tankard

9:30 da tarde  
Blogger luis said...

a crítica não implica imparcialidade. isso é jornalismo. não sou nem tenho pretensões de ser jornalista.

1:15 da manhã  
Blogger Caroca said...

Eu tb gostei !! (do filme, claro esta, visto q as vossas discussoes n m interessam particularmente...)

2:59 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home