domingo, novembro 25, 2007

(Crítica) American Gangster

American Gangster (2007)
De Ridley Scott

Antes de mais, quero dizer que fui ver este filme ao cinema, porque me apetecia ir ao cinema (ver qualquer coisa, entenda-se). Perante a perspectiva de ir ver American Gangster, hesitei e torci o nariz. Porquê? Porque toda a vida embirrei com o Russel Crowe e com o Denzel Washington (neste caso, foi só até ver o Training Day - se bem que, para dizer a verdade, a embirração, apesar de menorizada, continuou a existir). Toda esta explicação serve apenas para dizer que a minha crítica estará provavelmente demasiado positiva, dado que fui ver este filme sem grande vontade e no final acabei por sair da sala bastante agradada.


Começando pelo mais fácil. Denzel Washington está bem, como sempre. O fato de homem poderoso/no topo da hierarquia, que, quer esteja do lado dos maus ou dos bons, sai sempre por cima (que veste em muitos dos seus filmes, demasiados, na minha opinião – julgo que é daí que vem a embirração ) assenta-lhe que nem uma luva. Não vejo esta interpretação como digna de grandes prémios, não propriamente pelo trabalho de Denzel, mas mais pela não ultra grandiosidade da personagem (afinal de contas, o papel de gangster-chefe está mais que visto e é praticamente imelhorável, graças aos Padrinhos). Já Russel Crowe fascinou-me um pouco mais (again, devido à embirração existente à priori) e gostei de o ver num papel de um homem com um carácter bastante transparente e, já agora, com sotaque americano.

A história é interessante. Entretém quase sempre e aborrece muito pouco (tendo em conta que são duas horas e meia de filme). Eu, como sempre gostei de ver filmes baseados em factos verídicos, acho que, neste caso, este foi um factor que contribuiu para me manter mais atenta (para uns o prazer é olhar para o acidente de viação que aconteceu 2km à frente, para outros é saber o que é que aconteceu aos mauzões da vida real).

Apesar de o começo do filme parecer querer anunciar que nos esperam umas horas de um controlo de bairro bastante hardcore, quando o que acaba por sobressair é quão isoladas as duas personagens estão nos seus respectivos meios e quão inteligente e subtil é este Gangster Americano, este filme não é, no fundo, mais do que um retratar do sonho americano [tornado realidade], mas numa versão menos lícita e com mais sangue.

É um bom filme, para quem não levar expectativas demasiado elevadas, mas não chega a alcançar o lugar de futuro clássico, que tanto parece desejar.

7/10

Etiquetas: , , ,

6 Comments:

Blogger Ricardo said...

É tão bom ver o FDM actualizado, ainda por cima com uma crítica, weee :D

4:44 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

apoiado !

8:29 da tarde  
Anonymous jose quintela soares said...

Há surpresas destas...vemos o filme porque...não temos mais nada para fazer...e depois até gostamos.
Mas...eu gosto de Denzel Washington, ainda que repita o tipo de personagem demasiadas vezes.

3:45 da tarde  
Blogger Caroca said...

Pensei q o blog estivesse de luto por causa da Premiere...uma critica, go ritah!

10:42 da tarde  
Blogger Patrícia Fernandes said...

American Gangster surpreende mesmo! Nao me apetecia ver o filme, fui como se fosse fazer outra coisa qualquer assim desinteressante, mas a verdade é que o filme me colou ao écrã. Denzel Washington intrepreta uma grande personagem e nao consigo dizer se é por ser verídica ou não. A verdade é que adoro quando dou por mim a torcer pelo mau da fita. Talvez não seja um clássico mas considero que está acima da média. Para mim 8/10! Parabéns ao Russell também.

10:08 da tarde  
Blogger ritah said...

Acima da média sem dúvida!

12:47 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home