quarta-feira, fevereiro 08, 2006

(Crítica) Brokeback Mountain

Será o novo filme de Ang Lee ("Crouching Tiger, Hidden Dragon"), que anda a arrecadar prémios por onde passa e que muitos dizem ser uma obra prima, realmente tão marcante? A resposta, na minha opinião, é não.

"Brokeback Moutain", para quem não sabe, é baseado num conto de Annie Proulx sobre um romance proibido entre dois cowboys. Começando no Verão de 1963 em Brokeback Mountain, é nos dada a conhecer a relação secreta e conturbada entre Ennis Del Mar (Heath Ledger) e Jack Twist (Jake Gyllenhaal) ao longo das suas vidas. Como seria de esperar, a causa de maior furor em relação a este filme assenta no facto de ser uma história de amor entre dois homens, um assunto ainda tabu nos dias de hoje. A abordagem da homossexualidade foi feita sem pudor e com honestidade, pelo que se nota que o filme está a ser pioneiro. No entanto, se nos abstrairmos do facto de ser uma relação entre duas pessoas do mesmo sexo (que idealmente talvez fosse o normal), é apenas uma história de um amor proibido como muito já se tem feito. Poderíamos perfeitamente substituir os dois cowboys por um casal heterossexual que a história iria manter-se coerente e não seria muito diferente de outras já contadas. O impacto poderia ser menor, mas a essência seria a mesma. Ainda assim é uma história emotiva, bem contada, com uma fabulosa fotografia, e com Heath Ledger e Jack Gyllenhall a terem duas grandes prestações (com um restante elenco secundário sólido), naquele que foi provavelmente o papel mais difícil das suas carreiras.

"Brokeback Moutain" resume-se a uma perspectiva diferente de um romance com contornos trágicos, suportado por fortes imagens e actuações. Para ver sem tabús.

7/10

1 Comments:

Anonymous Dênis Michel said...

Eu gostei muito do filme, realmente é uma nova perspectiva e acredito que seja bem-vinda, ja que é uma realidade nossa no mundo atual, eu sou gay tambem, e como parece ser coscidencia, eu não sei, a moral da história é quase a mesma, pelo fato de não ser considerado normal pela humanidade, o romance se torna proibido e sempre a pessoa que esta disposta a apostar mais no amor acaba morrendo ou desistindo, é quase como se fosse uma frustração, ja está se tornando comum na mente dos escritores de filmes como este, ja pararam pra pensar de que como seria interessante se 2 homens ou 2 mulheres podem ser felizes juntos, e que ao mesmo tempo é real isso, não seria feito apenas a titulo de premio...mais iria mudar muito o pensamneto da sociedade de hoje, perceberiam que o mistério do Amor não acaba entre um homem e uma mulher, ele vai muito mais alem...

4:43 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home