domingo, janeiro 08, 2006

(Crítica) Reis e Rainha

Reis e Rainha
de Arnauld Desplechin
Título Original: Rois et Reine
http://www.imdb.com/
title/tt0344273/

Depois de muito adiar, ontem vi finalmente o Reis e Rainha. Mas espera Luís, esse não é um filme francês de duas horas e meia sobre a vida de uma mulher? Sim, e é óptimo.

O filme mostra a história de Nora, (Emmanuelle Devos) uma negociante de arte que regressa a casa para encontrar um pai às portas da morte. A partir daí começamos a ver o resto da sua vida, os homens que dela fizeram parte e a forma como, bem ou mal, ela lidou com o facto de ter sido mãe solteira. Fala-nos da tenacidade de uma mulher perante a solidão que algumas das suas escolhas lhe trouxeram e fala de todas as pessoas que nessa solidão habitavam.
Paralelamente temos a história de uma dessas pessoas. Ismaël (Mathieu Amalric), que viveu toda a sua vida de uma forma infantil e despreocupada, num mundo à parte e que por isso o julgam louco. Vemos também mais tarde na história que Ismaël foi um homem muito importante na vida de Nora.

Filmado de uma forma normal, e às vezes crua, não procura adornar a história, pois a história é o mais importante. A interpretações são reais numa história "real". A reter, temos uma história (ou histórias) que acontecem dentro de qualquer casa, e que de uma forma ou de outra, nos fazem comparar determinadas pessoas às personagens.
Um filme extremamente humano que coloca o sentimento à frente de tudo o resto. É impossível não ver o filme sem ficar cativado pela simplicidade da história e das suas personagens complexas.

Absolutamente fundamental de se ver.

8/10

1 Comments:

Anonymous Andreia said...

É bem verdade que é um bom filme, só é pena é ser francês :) Vejam, sim... mas de preferência a meio do dia, que é para não sairem do cinema às 3 da manhã.
Há e esqueceste-te de dizer que ainda dá para rir um bocado, não é assim tão austero como parece.

3:23 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home