sexta-feira, maio 02, 2008

Postas-de-pescada - volume 2

Porque eu também tenho pouco tempo...


The Other Bole
yn Girl: 4/10

Uma grande desilusão. Pensei Natalie Portman, Scarlett Johansson, Eric Bana. Pensei Henrique VIII e as suas mil mulheres. Pensei bastante potencial. Obtive novela mexicana com banda sonora de novela mexicana. Só mais lá para o final, com o aumentar da seriedade da história, o filme consegue ganhar algum respeito, mas já é tarde demais.



Into the Wild: 9/10

Imediato e inquestionável mudador de opinião acerca de Sean Penn. A história: o tipo de história que qualquer cineasta deseja transformar em filme. A habilidade de Sean Penn em o fazer de uma forma absolutamente sublime. A fantástica interpretação de Emile Hirsh. A poética narração de Jena Malone. Os fantásticos cenários e fotografia. O desejo de ter a coragem para fazer metade que seja do que só Christopher McCandless foi capaz de fazer. A impossibilidade de se sair indiferente da sala de cinema. Que venha o diabo e escolha a melhor coisa deste filme.



We Own the Night: 5/10

Uma história assim-assim. Não entretém. Não aborrece. Ideal para quem gosta de ver a Eva Mendes em actos românticos, o Joaquin Phoenix com uma cara de sofrimento durante mais de metade do filme e o Robert Duvall num dos seus papéis de sempre. Ideal para ver daqui a dois anos numa tarde de sábado, na SIC.



Youth Without Youth: ?/10

Depois de 10 anos sem fazer nada, Francis Ford Coppola sai-se com isto.
Quem gostar de filmes [pseudo?] intelectualóides, veja e depois volte cá, para discutirmos.
Quem não gostar de filmes esquisitos e aparentemente pointless, pegue nos 5 euros e vá comer um gelado.



The Bank Job: 7/10

Surpreendentemente cativante. Um argumento bem desenvolvido e um monte de caras praticamente desconhecidas, mas agradáveis. Ritmo bem mantido, acção e adrenalina usadas na dose certa. Resultado: nunca se perde o interesse.

Etiquetas: , , , , , ,

8 Comments:

Blogger Ricardo said...

Por acaso acho que isto funciona relativamente bem... ao ler o teu post fiquei com uma ideia sobre vários filmes que não teria porque não ias escrever uma crítica para cada um deles. Bem-vinda à prática das postas de pescada, que não sendo a ideal é a que mais se adequa quando o tempo aperta :)

Por falar em tempo a apertar, quando é que vens para a MaCoisa? :P

11:47 da manhã  
Blogger ritah said...

Assim, sempre mostramos que até vamos ao cinema!

Ah e sabes bem que não sou McCoisa material! Face it!

4:45 da tarde  
Blogger Caroca said...

Esta foi a melhor ideia ever!

5:56 da tarde  
Blogger ritah said...

Yes! Perfeito perfeito só mesmo mais uns comentários a discutir os filmes!;)

6:00 da tarde  
Anonymous RuiG said...

Perfeito, perfeito, é o Into the Wild!
Fiquei exactamente com a mesma sensação aí descrita, mas eu dava-lhe mesmo um 10/10, considerando a banda sonora pelo único Eddie Vedder!

3:44 da tarde  
Blogger Sofia said...

Tb adorei o "into the Wild"!

10:59 da manhã  
Anonymous Miguel said...

o Youth Without Youth é algo um bocado disperso e intragável, sem duvida, muito desconexo o filme. Mas tem momentos bons, interessantes e bonitos no minimo. Como colectanea de pequenas historias, gostei de o ver. No que toca a juntar-se as histórias e fazer-se algum sentido global da totalidade da obra, acho que isso caberá quase somente ao próprio Coppola. Mesmo assim, o final foi um pouco revelador, e comovente, para mim

2:34 da manhã  
Anonymous Miguel said...

Já agora, de que filme (suponho eu) é a imagem de cabeçalho do blog?

2:35 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home